Procura-se uma BMW para relacionamento sério

Neste Dia dos Namorados, homem declara seu amor à parceira: sua moto…

O bom de se relacionar com homem que gosta de moto é que você pode ficar tranquila, porque se estiver passando uma mulher “bem apessoada” na rua e, do outro lado, uma potente duas rodas, com certeza o amado vai esticar o pescoço para olhar a máquina de tanque, não a de peitos fartos.

A paixão de certos marmanjos por motos é grande e algumas situações causam estranheza. Nesta semana em que se comemora o Dia dos Namorados, ao questionar um rapaz sobre sua namorada, ele apontou para a motocicleta e, numa demonstração de carinho e afeto, disse que ela era a sua mais recente companhia, o que me fez deduzir, pelo seu semblante, que a bela de carne e osso provavelmente não tinha seguro e… foi levada por algum bandido apaixonante.

Suas justificativas em prol da nova “amada” foram tão profundamente explanadas que cheguei quase a acreditar numa relação homem-máquina, mas sabia que, no fundo, não passava de lamento sobre algo mal resolvido de um passado presente.

Ao apontar para a sua possante, o moço argumentou: “Ela, sim merece flores nesta data! Não é ciumenta e me dá menos despesa”. A próxima explicação foi rigidamente a mais encorpada na articulação das palavras: “Ela não me trai!”.

Pausa.

“Então, você foi traído?”, perguntei. “Claro que não!”, respondeu ele, e continuou a tentar me convencer de que havia feito a melhor escolha: “Ela me acompanha para aonde eu for, não me deixa na mão, não fica de TPM nunca e, o melhor, é afrodisíaca”, disse o rapaz, apontando para o emblema da sua BMW, insinuando que nós, mulheres, somos interesseiras, vê se pode!

O papo acabou e ele foi embora, depois de uma sessão de fotos, um tanto quanto românticas, entre ele e, digamos, ela.

Após o diálogo com o rapaz, mais tarde, fui a uma reunião espiritual oriental. Lá, uma palestrante relatava um “case” de sucesso de sua vida em torno do seu incômodo com algumas lagartas que adentravam em sua cozinha. Ela disse que certo dia resolveu conversar com duas delas, pedindo para que deixassem de visitar sua casa e que, por espanto, nunca mais apareceu uma lagartinha sequer em seu lar – foram namorar em outros ares!

Pra fechar aquela noite, um jovem me disse, em poucas palavras, que não gostava de falar com gente, porque tinha medo da reação das pessoas… Confesso que terminei o dia confusa! Acho que vou me casar com o meu papagaio! Ele só fala o que eu quero ouvir, está sempre de bom-humor, tem asas – mesmo assim nunca pensou em voar para outros ares, não tem conta no facebook, sem contar que tem um belo par de íris cor de mel.

No mais, feliz Dia dos Namorados a todos os casais apaixonados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *